O Cartolinha - L Cartolica
Pesquisa

Uma aventura em Bruxelas
Por António Rodrigues (Professor), em 2015/09/28344 leram | 0 comentários | 28 gostam
Após alguns meses de espera e ansiedade, o grupo de alunos de mirandês do 11.º ano desfrutou do prémio recebido no concurso “Prémio Escola na Europa”.
TATIANA RAPOSO
Este concurso, promovido pelo eurodeputado José Manuel Fernandes, era dirigido a todas as escolas do distrito de Bragança. O seu objetivo era fomentar nos jovens o interesse, conhecimento e debate sobre a União Europeia e sobre as instituições a ela ligadas. No escalão destinado ao ensino secundário, os alunos teriam de apresentar um trabalho sobre a sua região, abordando também a sua relação com a União Europeia e as suas instituições. O prémio era uma visita ao Parlamento Europeu, em Bruxelas.
Os alunos de mirandês do 11.º ano da nossa escola decidiram pôr mãos à obra, realizando um trabalho em vídeo intitulado “La Tierra de Miranda a Camino de l’Ouropa”, com locução em língua mirandesa e onde evidenciaram os valores que mais identificam e distinguem este município, no contexto europeu.
No dia 15 de setembro, os alunos vencedores, acompanhados pelo professor de mirandês, Duarte Martins, pelo diretor de turma, António Rodrigues, e pela representante da Direção do Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro, Luísa Pombo, partiram de avião para Bruxelas. Juntamente com o grupo de Miranda do Douro foi também um grupo de Braga, vencedor do mesmo concurso no seu distrito.
Para a maioria dos alunos do nosso grupo, a viagem de avião foi uma estreia, pelo que experienciámos um misto de ansiedade e deslumbramento. Chegados ao aeroporto de Bruxelas, éramos esperados por um assessor do eurodeputado José Fernandes, que iria ser o nosso guia durante a visita a Bruxelas. Recuperadas as malas, fomos encaminhados de autocarro para o hotel, onde nos instalámos.
Refeitos da viagem, decidimos sair do hotel para visitar o centro da cidade e almoçar (já estávamos todos famintos e o fast food foi a nossa opção). Almoço terminado, começámos a passear pelas ruas da cidade, repletas de chocolatarias e lojas de waffles, o que deixou todos com água na boca! Após algumas deambulações e várias degustações (é impossível resistir ao chocolate e aos waffles!!), fomos parar à Grand-Place, que é a praça principal da cidade, onde se encontra a Câmara Municipal. É uma praça muito bonita, com edifícios deslumbrantes, muito trabalhados, com estátuas e pormenores em talha dourada. Em certas épocas do ano, essa praça costuma estar coberta por um grande e colorido tapete de flores, o que infelizmente não ocorreu aquando da nossa visita. Ainda assim, ficamos maravilhados com a sua grandiosidade.
Vimos também o Manneken Pis, o símbolo mais emblemático da cidade de Bruxelas. É uma pequena fonte em bronze de um menino a urinar para uma bacia. Apesar das fotografias normalmente tiradas à estátua darem a ideia de grandeza, na verdade tem apenas 61 cm.
De seguida, visitámos a Place Agora, onde aproveitámos para descansar um pouco na esplanada de um café e tirar uma foto junto à estátua de Charles Buls, um político belga e antigo presidente da cidade de Bruxelas que viveu entre o final do século XIX e o princípio do século XX. Perto da praça encontrámos a estátua dos smurfs, bonecos que têm nacionalidade belga. Alguns de nós visitaram também as galerias reais Saint-Hubert, que se estendem ao longo de 200 m e têm algumas das lojas mais caras que encontrámos.
Satisfeita a curiosidade inicial de conhecer a cidade, fomos jantar e, posteriormente, recolhemos ao hotel.
No dia seguinte, retemperados do cansaço e de pequeno-almoço tomado, partimos para mais um dia de atividade. Acompanhados do nosso guia, fomos de metro até ao Bruparck, nos subúrbios de Bruxelas, e que abrange, entre outras atrações, o Atomium e a Mini-Europa. Primeiramente, visitámos a Mini-Europa, um dos principais parques de miniaturas do mundo, com mais de 300 atrações de 80 cidades europeias. Todos os modelos foram construídos em escala 1:25. Os portugueses chamam-lhe “O Portugal dos Pequeninos de Bruxelas”. É um lugar muito bonito, com uma grande riqueza de detalhes em cada construção, para além de muitas animações.
De seguida, fomos visitar o Atomium. Este monumento, construído no âmbito da Expo 58, é uma estrutura metálica que representa uma molécula de ferro ampliada 165 mil milhões de vezes, com tubos que ligam as 9 partes. No interior das esferas, representando cada uma um átomo de ferro, pode-se assistir a exposições. Na esfera que se encontra no topo, à qual de acede através de um elevador (demora 23s a subir 102m), as janelas a toda a volta dão-nos uma fantástica vista panorâmica da cidade. Uma das coisas que nos fascinou foi o grande comprimento das escadas rolantes, que nos permitiam ir de uma esfera para a outra dentro dos tubos que as ligam (têm entre 23 e 29m de comprimento).
Com as barrigas a dar horas, terminámos a nossa visita ao Atomium e fomos almoçar num dos restaurantes do Bruparck. Seguidamente, apanhámos de novo o metro e encaminhámo-nos para a zona onde se encontra o Parlamento.
Após uma passagem pelo Parlamentarium, centro multimédia dinâmico e interativo que conduz os visitantes através de uma viagem pela história da União Europeia, dirigimo-nos ao Parlamento Europeu, onde, finalmente, nos encontrámos com o eurodeputado José Manuel Fernandes, que nos recebeu calorosamente e com quem tirámos uma foto. No seu discurso de boas vindas frisou o funcionamento das principais instituições europeias e o papel dos eurodeputados. Tivemos ainda a oportunidade de assistir a parte de uma reunião de eurodeputados no plenário e de conhecer algumas instalações do Parlamento, que nos impressionou pelo facto de parecer uma autêntica cidade dentro de um só edifício, bastante bonito e moderno (tinha desde ginásios a supermercados e restaurantes). No final, ainda fomos agraciados com um saco de recordações.
Um pouco cansados do intenso mas enriquecedor dia de passeio, regressámos ao hotel para descansar as pernas, mas a noite ainda prometia ser longa… Esperava-nos o eurodeputado para jantar. A refeição foi bastante agradável e animada. Depois de jantar, decidimos ir até um bar e deixámo-nos envolver pela vida noturna bruxelense. Quando chegámos ao hotel, caímos nas camas e adormecemos que nem patinhos, tal era o cansaço.
Tivemos de nos levantar cedo para fazer as malas sem correrias. Malas arrumadas, ainda tivemos tempo de dar um pequeno passeio pelas lojas da cidade antes de apanharmos um autocarro que nos levou até ao aeroporto. Já no aeroporto, aproveitámos para comprar chocolates (o famoso chocolate belga) para trazer para Portugal. Finalmente, embarcámos no avião e despedimo-nos de Bruxelas. A viagem decorreu dentro da normalidade (agora já nenhum de nós era estreante no que tocava a aviões). Quando chegámos ao Porto, fomos comer qualquer coisa ao Norteshopping e metemo-nos à estrada com destino à nossa terra. Chegámos cansados, mas também muito felizes pelas boas memórias (e chocolates…) que trazíamos da viagem e da cidade de Bruxelas. Foi, realmente, espetacular! Adorámos e nunca esqueceremos!
Com esta viagem a Bruxelas, não só tivemos a oportunidade de viajar pela primeira vez de avião, mas também de conhecer uma nova cidade, uma nova cultura e uma nova gastronomia (que nos agradou bastante). Além disso, ficámos com vontade de conhecer novos lugares e de alargar ainda mais os nossos horizontes. Esperamos por mais iniciativas como esta…
Queremos agradecer a todos os que contribuíram para a realização desta viagem.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário