O Cartolinha - L Cartolica
Pesquisa

Sensibilizar para a diferença
Por Biblioteca Escolar (Professor), em 2017/01/02418 leram | 0 comentários | 15 gostam
"Sensibilizar para a Diferença" foi o objetivo da atividade desenvolvida, nos dias 3 e 5 de dezembro, nas turmas do 5º ano da EBS.
Tratou-se de um trabalho articulado entre a Biblioteca Escolar, a docente de Português, Elisabete Lázaro, e a professora do Ensino Especial, Rita Dias.
Integrada no âmbito do Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar, aliado ao Programa de Promoção das Competências de Leitura e Escrita do AEMD, a atividade promoveu tarefas que desenvolveram não só competências sociais, mas também a literacia da leitura multimodal, uma vez que se partiu da audição e exploração da letra de uma canção ("Todos gozam", da Luísa Sobral), para a redação orientada de um texto narrativo.
Os alunos editaram em formato word as suas narrativas e as melhores são aqui publicadas!

                          O Fábio no parque de diversões
Naquele dia de outono, o Fábio estava no parque de diversões.
Este menino tinha olhos tortos e era pequeno e prestável.
Brincavam alegremente quando apareceu o Luís que se pôs logo a gozar com ele:
- Vesgo ,vesgo !!! -gritava o Luís do alto do escorrega.
O Fábio ficou triste e afastou –se para o lado dos baloiços .
Passado um pouco, o Luís foi-se embora, mas esqueceu-se da lancheira. Rapidamente, o Fábio correu atrás dele e entregou-lha.
-Obrigado!- agradeceu o Luís com um ar arrependido.
A partir desse dia o Fábio e o Luís ficaram amigos para sempre e os dois compreenderam que as pessoas vesgas podem ver, para alem de lancheiras o valor da amizade .
     
Hugo Antão, 5ºA


                                                                                                    A Rita Gordita
Certo dia, como era normal, depois de saírem das aulas, lá estava a Rita a ir para o intervalo. De repente, um seu colega disse-lhe:
 - Ó gorda, andas a comer de mais!!!
A Rita, muito triste, continuou o seu caminho, pensando que o seu colega a tinha deixado em paz, mas ele veio logo a seguir acompanhado do seu grupo de amigos e recomeçaram a rebaixá-la:
- Gorda, feia e burra, só tiraste 14 no teste, que vergonha!
Ela, muito triste, tentou sair daquela roda mas não a deixaram.
Uma amiga, a Filipa, viu o que se passava e foi para ao pé dela. O grupo de rapazes continuou:
-Olha, olha, esta está armada em defensora da pátria!
-Cala-te e deixa a Rita em paz. Não vez que ela hoje só tirou 14 no teste porque se sente inferiorizada? Ela é muito bonita, já viste o cabelo dela, loiro como o sol e os olhos azuis como o mar!
Os meninos ficaram todos a pensar no que a Filipa lhes tinha dito e todos eles combinaram irem pedir desculpa à Rita. Lá foram eles, e ficaram todos amigos.
A Rita subiu as notas e… a autoestima!!
Os teus amigos são o teu maior tesouro!!!

Inês Pires, 5ºA

        
                                                                                                Os amigos
Certo dia, a Sara estava na escola.
Ela tinha borbulhas na cara, muito vermelhas como picadas de mosquito, mas parecia muito feliz.
Um colega apareceu ao pé dela e disse-lhe:
-Tens a cara cheia de vulcões! Ah, ah ,ah!!
A Sara ficou muito triste.
Aquilo aconteceu porque o menino era muito ruim e convencido. Ao encontrar a Sara, quis armar-se e gozou com ela.
Nesse momento, apareceu o professor Vicente que tinha visto a cena e foi falar com ele. O rapaz ficou arrependido e pediu desculpa.
E assim ficaram amigos para toda a vida.
Sempre que se vê alguém a ser gozado, devemos impedir!

João Rodrigues, 5ºA



                          O Fábio na festa de aniversário
 Naquele dia, o Fábio foi à festa de aniversário da sua prima Vera. Apesar de o Fábio ter olhos tortos e precisar de uma pessoa sempre ao seu lado, ele e a prima eram os melhores amigos. Com a sua prima ele parecia sentir-se muito feliz. O problema era que nesse dia a sua nova ama não pode vir, porque tinha ido passar férias ao Gerês. Enquanto os amigos da prima não chegavam, o Fábio decidiu contar-lhe da sua ama nova antes que alguém chegasse, porque ele não queria que ninguém soubesse:
 - Já sabias que tenho uma ama nova? Ela hoje não pode vir porque está a passar férias no Gerês.
 Entretanto um dos convidados, chamado Rui, começou a fazer troça, porque era mau e convencido:
 - Olha o torto, olha o olhos tortos!!! Ah, ah, ah!
 O Fábio, ofendido, começou a chorar tão alto que alertou o pai da sua prima Vera. Ele foi a correr até ao salão e quando chegou disse:
 - Mas o que é que se passa aqui?? Porque estás a chorar, Fábio??
 Limpando as lágrimas e a tremer, o Fábio respondeu com uma voz trémula:
 - Eu sei que tenho olhos tortos, mas a coisa que eu mais detesto é que gozem com o meu problema.
 O Rui, arrependido, com pena e tristeza do que tinha feito ao Fábio, abraçou-o e pediu-lhe mil desculpas.
 Orgulhoso do seu ato de bondade, o pai da Vera decidiu aconselhar as crianças que ali estavam:
 - Isto é o que digo sempre à minha filha: nunca faças aos outros aquilo que não queres que te façam a ti!

Mariana Nobre, 5ºA



                                   Gostos diferentes
Na semana passada, o Rui ficou muito triste: os colegas da turma começaram a gozar com ele porque demorava muito tempo a copiar os trabalhos do quadro.
O Rui é um menino baixo, de cabelo loiro como o mel, olhos verdes como azeitonas, gosta de camisolas às riscas e calças de ganga e usa sempre sapatilhas.
Ele é um menino divertido que gosta das coisas perfeitas, é aplicado e tem o caderno organizado, mas demora muito tempo a escrever e os colegas gozam com ele e chamam-lhe “lesma” .
Cansado de ser gozado, o Rui chegou a casa a chorar.
 A mãe, preocupada, perguntou :
- O que é que aconteceu para estares a chorar?
E o Rui respondeu:
- Os meus colegas gozam comigo porque eu escrevo muito devagar, mas eu gosto da letra bem feita e do caderno organizado, e se escrever depressa fica tudo riscado.
A mãe pensou e disse:
-Não dês importância a isso, cada menino faz o melhor que sabe e gosta. Tens que mostrar aos teus amigos que com um caderno limpinho e mais bonito se aprende melhor. Porque depressa e bem não há quem!
O Rui ficou satisfeito com o conselho da mãe. E não se voltou a importar com o que diziam os colegas.

Mariana R., 5ºB



                                 A grande inspiração
   Certo dia, a Rita no recreio fartou-se de ser gozada por ser gorda. Ela sentia-se confusa, a mãe dizia-lhe que ela era bonita e para não se importar com o que os colegas diziam. O pai dizia o mesmo, mas os colegas não paravam de gozar com ela.
     A Rita até era bonita, tinha o cabelo curto, olhos castanhos como avelãs e era tímida. Ela sentia-se muito ansiosa porque que ela queria mudar e ter muitos amigos.
     Então, reparou que havia um aluno como ela, até um pouco mais gordo, mas mais velho e, para seu espanto, ele tinha muitos amigos e amigas. Então perguntou-lhe:
      -Porque tem tantos amigos e eu não?
     -Eu antigamente também era gozado como tu, mas decidi dizer aos meus pais. Então eles vieram cá á escola.
      -E o que aconteceu?-perguntou a Rita.
      -Eles falaram com o diretor de turma e ele falou com os alunos.
      -Quer dizer que basta dizer aos pais?
      -É mais ou menos isso!
      Então, assim fez. Os pais foram à escola e passadas duas semanas, ela já tinha muitos amigos e amigas.
       Não te preocupes com o presente que no futuro as coisas vão melhorar!

        Noemi, 5ºB


                                         Flash!
Certo dia, um menino chamado Rui foi para a escola. O Rui era alto, tinha cabelo castanho e os olhos verdes como um bosque na primavera. Ele vestia calções pretos e camisola verde com uma camisa branca. O Rui era muito tímido.
De caminho para a escola, encontrou um dos colegas da sua sala que sempre gozavam com ele:
-Ei, caracol, anda mais depressa se não queres chegar atrasado! – Estava tão ocupado a gozar com o Rui que ao passar a passadeira não olhou e veio um carro contra ele. O Rui, ao ver aquilo, desatou a correr e salvou-o. O colega do Rui, todo admirado, disse:
-Salvaste-me a vida!!! Desculpa por te chamar “caracol”. A partir deste momento serás chamado o FLASH. Queres jogar connosco no recreio?
-Sim.- Disse ele todo contente.
E a partir desse dia, o Rui começou a treinar e tornou-se o mais rápido da escola.

Patrícia Rodrigo Igreja, 5ºA


                              O Rui e a Maria
Na semana passada, o Rui estava na escola. Ele é alto e magro. Normalmente, ele só se diverte com a Maria : são os melhores amigos.
Na terça- feira da semana passada, tinham teste de Português. Ele teve o apoio da professora de ensino especial. Quando a aula acabou, ele estava todo aflito e disse:
-Professora, posso ficar durante o intervalo?
- Sim.
Então ele continuou, mas os outros viram-no, e mais tarde começaram-no a insultar e a dar-lhe pontapés, e disseram:
-Lá por seres lento a escrever, não tens mais importância do que nós, nós somos os reis da escola!
A Maria viu e foi dizer para pararem e eles nada! Ela foi dizer à diretora de turma que por sua vez foi falar com o diretor da escola.
Ele abriu um processo disciplinar e mandou-os para casa. O Rui e a Maria ficaram felizes, e os malandrões aprenderam e passaram a protegê-lo. Agora eles são muito amigos.

Quem faz mal aos outros e não se arrepende, sofre as consequências dos seus atos.

Carlos Martins 5ºA Nº2



                                   A Luísa
A Luísa é alta, tem cabelo longo e loiro como o ouro, e olhos a azuis como o mar. É muito tímida.
Na semana passada, quando a Luísa estava na escola, um menino gozou com ela, por usar óculos: “Olá, caixa de óculos!”.
A Luísa fez um grande esforço e mostrou-se indiferente e o colega não voltou a dizer isso porque viu que ela não lhe ligava.
A Luísa ficou feliz!

Rodrigo P., 5ºA





Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário